15 de julho de 2007

Doce Espera




O texto de hoje foi concebido aos poucos.

Costumeiramente, eu sento e escrevo. E o texto nasce.

Mas o de hoje foi diferente.


Tudo começou de manhã, quando li o blog de Maria Cristina no site STUM, no qual a autora fala da espera, de encontrar o seu amor, seu companheiro de vida. Ela diz:


"Uma saudade de um rosto que não conheço, que não me lembro como é... uma falta e-nor-me de um toque que não sei precisar como seria, mas que já conheci um dia, uma necessidade de me sentir compartilhando a vida, com suas vitórias e dificuldades, com alguém muito próximo de minha alma, que não sei onde está neste momento, mas que tenho a certeza que existe... "


Me senti compelida a falar sobre o que Maria Crsitina escreveu.
Mais do que qualquer coisa, senti uma forte identificação do meu momento com o dela, motivo mais do que sufuciente pra poder escrever sobre isso.

Mas o dia foi passando, e tive alguns compromissos "sociais" ao longo do dia, e não "deu tempo" de escrever ainda na parte da manhã.

Mas como veremos a seguir, mais coisas precisavam ser sabidas antes que o texto nascesse.

No final de tarde, recebi o telefonema de uma amiga muito querida - Kiki (pequenina e também gigante) me chamando para uma conversa...
Fui até a casa dela, onde ela me contou que está grávida e vai casar.
Eu e Kiki temos uma longa amizade de muitos anos, mas no último ano, passamos muitas coisas juntas.
Coisas que Maria Cristina fala no seu blog, coisas que essa espera- que em alguns dias parece interminável- nos causa e nos traz.

Fiquei super feliz e emocionada.
Há tempos não chorava de felicidade como fiz hoje ao abraçar minha querida amiga Kiki.
De ver que a sua espera acabou. Uma nova vida se faz dentro dela.
E ela inicia uma doce espera, a de ser mãe e ver o rostinho do seu bebê.
Saí da casa dela com aquela sensação de ano novo, no primeiro dia do ano, sensação de alma lavada.


Ao chegar em casa, pouco antes de começar a escrever, recebo o email do blog de Rosana Braga -autora que eu gosto muito e me identifico com sua forma de escrever- e o objeto do seu texto era mesmo assunto - A espera.

Como não existem coincidências, e sim providências, a mensagem do dia pra mim foi muito clara, e com certeza veio em boa hora....

Nesses dias em que ás vezes a sensação é de cansaço,me lembro então o ditado diz que :
" Quem corre cansa, quem espera sempre alcança".

Se isso tiver algum sentido, logo saberemos, porque é sabido que parei de correr, de buscar.
Pra usar a expressão de Iyanla Vanzant : "Enquanto o amor não vem"... tô soltando os bichos, cuidando das feras, curando cicatrizes, colando caquinhos, preparando o solo pro plantio.


Isso me leva a crer que a mensagem de hoje é : Vale a pena confiar e esperar.


" O tempo é dono da razão"






3 comentários:

Laetitia disse...

Paty, acredito muito no ditado "O que não se espera acontece com mais frequência do que o que se espera."...
Boa sorte prima
Bj

Ivan disse...

"se busco é porque constato que quero algo que não tenho no momento." Freud

milaflock disse...

o tempo é o melhor amigo de MUITAS coisas..

cura, alivia, faz esquecer..mostra, nos faz perceber...

por essas e outras q prefiro deixar ele passar as vezes...só naum podemos cruzar os braços, naum eh mesmo?

bjbj