15 de fevereiro de 2008

O que realmente importa - II




IM-PER-DÍ-VEL !!!!

Já havia lido o livro.
Ontem, fui ver o filme.

Faz de conta que sou um escritora, então pra chegar ao ápice do post,
vou contar como começou meu dia.
É claro que vai ser uma análise subjetiva, senão perde a graça!

Quinta feira - 14/02
Acordei, ainda ressaqueada de tantos remédios para gripe.
Tinha uma reunião na primeira parte da manhã. e outra na segunda metade da manha e comecinho de tarde.

Ultimamente, os negócios tem tomado boa parte do meu tempo e da minha energia mental - o que me deixa muito agitada e com minha vibe de guerreira em alta.

É assim que tenho me sentido: numa selva, lutando e matando um leão a cada dia.
Tá fogo.
Porque teoricamente, eu sou a mocinha da minha própria estória, e ultimamente estou mais pra Xena, a Rainha das Selvas (hahahaha).

Mas isso cansa, porque a energia guerreira,
é energia de Marte, Yang, do fogo, da luta, é uma energia - digamos- masculina.
Tenho me sentido meio que, endurecida.

Eu, que sou sensível, romântica, coração mole, tenho me sentido implacável,
principalmente comigo.
Não sei de onde surgiu essa Patricia, e onde a (ou as) outra(s) Patricia(s) estão neste momento. Peeense aí, como estou cansada.

A tal reunião até que foi boa.
Mas, um pequeno deslize alheio, trouxe à tona, sentimentos mesquinhos, como ciúme e possessividade.
Nossa! Quem diria. Eu, a "tão quase perfeita", Patrícia com tais sentimentos??
Pois é, minha gente. Eu mesma. Sucumbi à eles.
E não foi pouco. Com direito a chôro de raiva e tudo.
E o pior é que não parou por aí.

Ao invés de aplicar, tudo aquilo que eu SEI, e que boa parte do tempo faço... hoje não dei conta.

(Talvez o dia de hoje deixasse Zelia Duncan feliz, pois ela anda cantando: " A alegria do pecado às vezes toma conta de mim... ". Pois bem. Hoje eu fui um prato cheio.)

Não apliquei as regras de "O Segredo" - que nem é mais tão secreto assim. Não cantei uma canção. Não mudei de assunto. Não gritei, nem dei soco em almofadas.

Pelo contrário... alimentei (e fui alimentada) essa energia e reagi à ela. Triste constatação essa.

Já no meio da tarde, depois de passado o arroubo da ira,
me dei conta e ainda tentei um mero " I am sorry".
(pausa pra risos... achando eu que ía resolver! )
Sou realmente ingênua. Pelo menos isso...

Continuei ainda na vibe, literalmente "irada" e mandei uns dois ou três emails que estavam na parte de rascunhos esperando para serem enviados, ou então esquecidos. Foram enviados.

Graças a Deus, e sempre à Ele, tinha ao meu lado, minha querida, boa amiga e sócia, que sutilmente me segurava pelas beiradas (até porque o centro estava pelando!!).

Decidimos lá pelas tantas, irmos ao cinema, pra abstrair um pouco a energia insana que tomou conta de mim do dia de hj. Fomos assistir O Caçador de Pipas.

Pra quem já leu o livro e/ou viu o filme, continue a ler o post.

Quem ainda não leu ou viu o filme, talvez seja melhor parar por aqui.
Não que eu vá revelar que o mocinho morre no final (hahaha...mentira lá lá lá lá!)
Mas talvez seja melhor não se encher ou influenciar com a minha opinião.
Portanto, Léo Ciganinho, pare por aqui, bebê !!! :)

O drama do filme, me colocou de volta no meu centro. No meu lugar.
E mais uma vez me fez pensar: O que realmente importa ???
(Tenho pensado muito nisso ultimamente... só esse mês já é o segundo post sobre isso... humm !.....)
Chorei tanto !!!
Não apenas por ser um filme tocante, que mostra duras realidades.
Mas por perceber como eu sou pequenina. Ínfima.

Perdi um dia inteiro, por conta do meu ego !!!
Sim, porque é sempre ele que nos passa a perna.
Fiquei pensando:
"Meu Deus enquanto eu estou aqui pensando nas minhas reações infantis e egoistas, e alimentando a energia da raiva e afins, quantas crianças choram, sem pais e/ou mães??
Quantas têm medos do anoitecer? Ou do amanhecer ??
Quantas têm medo de simplesmente existir...??
(Só em pensar nisso, no momento que escrevo, meus olhos estão cheios de lágrimas.)

E isso está em toda parte.... aqui no Brasil, na Africa, no Afeganistão, na China...
E eu, preocupada, e perdendo meu precioso tempo com meu ego, enquanto tem tanta gente que pode fazer bom (muito bom, aliás) proveito do meu amor,
coração, doação, carinho, energia criativa....
Incontáveis orfanatos... só aqui perto de casa tem um.

No meio do filme, virei pra Marcela e disse: "Não te disse ? E a gente comemorando cantando: CHI- CLE - TE... oba oba... "- Mais uma vez me senti ridícula.

Não sei se estou envelhecendo, ficando mais consciente, ou o que é...
Mas fato é que já que é pra ser implacável, o serei com meu ego.

Vou EXIGIR dele mudanças de atitude positivas e
em prol de quem realmente necessita do meu amor e afeto.

Lí outro dia : Não trate como prioridade quem te trata como opção.
Isso é um fato. E vale pra mim também.
Eu é que tenho que fazer um ajuste nas minhas prioridades...
porque só reclamar também não dá.

Enfim... Assistam : The Kite Runner. É simplemente IM-PER-DÍ-VEL !!!!

" Por você eu faria isso mil vezes........ "

Keep it simple. I am for simple.
Ps. Ainda amo, Luis Miguel sim. Abraçarei com ele as causas humanitárias. hahaha...

4 comentários:

Ivan disse...

Quando não se tem o q falar, ficamos quietinhos observando... quem sabe não aprendo alguma coisa a mais??? beijo Minha AMIGA!!! em letras garrafais

Laetitia disse...

Pat, a cada dia que passa viro mais fã do seu blog. Cada texto lindo. Esse de hoje... nossa. Mandou muito bem. Eu assiti o filme e li o livro. Me senti como vc. Que bela lição né? Te amo prima

Marcela Oliva disse...

Antes de tudo esse post de hoje está cheio de verdades. Verdades que muitas vezes não queremos dizer em voz alta para nós mesmos, quanto mais para aqueles tantos que nos rodeiam (sejam eles conhecidos ou não). Esse post está você!!!

O filme ontem foi lindo! Um daqueles momentos que conseguimos ouvir de forma mais clara aquilo que estão tentando nos dizer já tem algum tempo. Alguns dias como ontem somos pegos de surpresa e envoltos em uma realidade que até então não enxergávamos. É a expressão “a ficha caiu” na sua forma mais realista.

Te amo, amiga e to sempre por perto.

“Por você faria isso mil vezes!”

Bjo-bjo

Lua disse...

Oi, Patrícia!
Obrigada pela visita no Resposta da Vida. Volte sempre.
Hoje ainda publicarei um texto que tem muito a ver com esse seu.
O que é bom para nós mesmos? É preciso descobrir, né?
Um beijão e sucesso