23 de março de 2011

Get it Right


No post anterior eu disse que definitivamente, alegria faz bem ao coração.
E continuo achando isso.

Só um fato relevante me fez ter uma reflexão mais profunda sobre alegria e tristeza.
Uma amiga muito querida e amada acaba de perder seu pai, e estava com ela ao telefone conversando sobre isso... Vida, morte, alegria, tristeza, dor...

Hoje de madrugada, caiu um trovão tão forte aqui perto de casa, que acordei e corri para a janela do meu quarto achando que tinha caído algum prédio e que estava começando uma guerra... JURO !!

Até eu me dar conta de que havia sido um trovão... foram alguns minutinhos.
E ainda com o coração acelerado do susto, fiquei pensando na minha amiga e na sua perda.
Perder Pai e Mãe, não importa a idade deixa-nos órfãos.
Acho que a sensação deve ser de que o mundo não é mais um lugar seguro de se viver.

E conversando com ela, dividi essa impressão e ela - que é uma psicanalista brilhante e preparada, confirmou essa impressão... essa perda nos traz a sensação de insegurança perante à vida e as coisas do mundo.

Nossa conversa continuou e minha reflexão também.
Hoje no twitter comentei sobre o fato do cantor baiano Netinho ter dito que Ivete Sangalo "acha" que é feliz, mas que na verdade não é.

Nem vou entrar nesse mérito, pois já fiz os devidos comentários hoje de tarde no twitter sobre o assunto, mas esse fato me levou a pensar que grande parte das pessoas vivem anestesiadas num misto de catarse de furor e alegria.

Na minha humilde opinião - derivada da minha experiência pessoal - devemos entrar sim em contato com nossas dores sem medo. Como disse no post anterior, o medo é maior que o problema na grande maioria das vezes.
Entrar em contato com nossas dores faz brotar nossa Humanidade, nossa conexão uns com os outros.

Porque nem todo mundo é alegre e capaz de sorrir alegremente todos os dias... Mas todos nós estamos conectados pela dor da Alma, mesmo que finjamos desconhecê-las.

E penso que é na dor que Deus vem ao nosso encontro, não porque Ele quer nos ver sofrer. De forma alguma, mas é porque quando estamos sofrendo nos despojamos de nossas máscaras, da nossa persona e entramos em contato com o âmago de nossa Alma... e lá está Deus, a parte Dele que vive em nós.  E então, podemos superar a dor e conseguir sobreviver, e pouco a pouco ir levantando e um dia voltamos à sorrir.

Qualquer dor é assim.
A magnitude da dor não é o acontecimento que determina... Talvez seja a intensidade do nosso sentimento, ou a nossa capacidade de entrar em contato com ela...
Não sei.
Todos temos pequenas mortes todos os dias.
De afetos, de hábitos, de sentimentos...
Perdemos pessoas para a vida, e é claro perdemos pessoas para a morte, o tão temido mistério  do existir...
O fim ou começo.

Enfim...
Sou tão em contato com as minhas dores, que tem dia que parece dolorido viver.
Drama ?
tenha certeza que não.
Intensidade ? Com absoluta certeza.
Talvez essa seja minha característica mais marcante... Intensidade.
Me conheço bem... não adianta negar o que sou.
"Para ser grande, sê inteiro, nada teu exagera ou exclui..." já disse Fernando Pessoa.

Mas é no encontro com minhas dores que Ele está me esperando, SEMPRE.
E há sempre uma boa supresa sendo revelada sobre mim mesma. Deus complica, descomplica e depois explica. Explica e nos faz compreender que Nele tudo há razão.
Viver a espiritualidade a fundo é uma delícia.
É uma convivência que não Se esgota, maravilhosa que me faz curiosa, sedenta e por vezes impaciente.

Deus é plenitude e eu amo demais tudo isso que Ele me faz.

Ando reflexiva e profunda esses dias... deve ser pra compensar a frivolidade do Carnaval... que é bom também, né ?

Essa sou eu... caleidoscópica!

Xô dormir.
Cartas para Redação.
Bjo, me twitta!
@patmguerra

Get it right
Glee

http://letras.terra.com.br/glee/1841348/

"(...)


What can you do when your good isn't good enough
And all that you touch tumbles down
Cause my best intentions keep making a mess of things
I just wanna fix it somehow
But how many times will it take? oh how many times will it take for me
To get it right? to get it right

(...) "

4 comentários:

. disse...

Eu sempre achei a dor válida, ainda que sem pensar pelo ponto de vista que ela nos leva de encontro a Deus. Falando com conhecimento de causa, não existe superação sem dor. Não existe vitória sem dor. Não existe crescimento sem dor. Se há, tire uma boa dose de beleza delas. A conquista anda pertinho dela. Vc cai aqui, levanta ali, e segue. Li em algum orkut alheio que a alegria embriaga. Um pouco exagerado, mas tem lá suas verdades!

Bom, adorei o texto, e mais ainda, a reflexão que isso me trouxe.

Lucimária Costa disse...

Lucimária Costa
lucinha232008@hotmail.com
Conviver com a dor nos faz crescer. Nos leva a um estágio espiritual elevado! Senti que somos frágeis nos remete a nossa essência,e nos transforma! A felicidade nos enche de nós mesmos! Quando estamos extremamentes felizes nos sentimos imbatíveis!Acima do bem do mal!A dor nos leva pra mais perto de Deus e revela na nossa fragilidade! Ao mesmo tempo nos dá uma vontade imensa de vencer! Amei o post! Essa reflexão me fez rever meus conceitos, sobre muitas coisas! Bjs!

Lucimária Costa disse...

Lucimária Costa
lucinha232008@hotmail.com
Conviver com a dor nos faz crescer. Nos leva a um estágio espiritual elevado! Senti que somos frágeis nos remete a nossa essência,e nos transforma! A felicidade nos enche de nós mesmos! Quando estamos extremamentes felizes nos sentimos imbatíveis!Acima do bem do mal!A dor nos leva pra mais perto de Deus e revela na nossa fragilidade! Ao mesmo tempo nos dá uma vontade imensa de vencer! Amei o post! Essa reflexão me fez rever meus conceitos, sobre muitas coisas! Bjs!

LIZ PASSOS disse...

"Respeito muito minhas lágrimas, mas ainda mais minha risada..."

E as minhas risadas só são válidas pq sei o quanto aprendo com as minhas dores. Não se ignora o sofrimento... ele nos amadurece e nos aproxima dos braços do Pai, qdo não lembramos de fazer esse contato na alegria, como vc tão perfeitamente colocou no texto.

Mas o bom mesmo é continuar sorrindo mesmo depois de cada tropeço!
Muito lindo, Patita!
Bjos