24 de setembro de 2010

Deletei !



"Tenho andado distraído, impaciente e indeciso... " esse podia ser o melô dos librianos.
Estou no meu inferno astral, mas como disse pra minha Dinda, tenho passado pelo inferno astral nos últimos dois anos.
As coisas estão saindo dessa fase de caverna, digamos.
Nem tenho percebido essa sensação de estar no "inferno astral", que normalmente é uma sensação de cansaço, com as energias psíquicas quase no final... bem perto da renovação do dia de aniversário.
Tô bem disposta, animada e contente.

Me dei conta de algumas coisas essa semana.
Aliás, tinha escrito aqui, quase três parágrafos de bla bla bla... pra explicar ou justificar coisas que senti ao me decepcionar com uma "amiga".
Aí apaguei tudo.
D-E-L-E-T-E-I.
Sabe porque ?
Porquê os afetos morrem.
Já cantou a banda "A COR DO SOM": Sim, é como a flor, de água, ar, luz e calor, o Amor precisa para viver de emoção e de alegria e tem que regar todo dia".

Não há afeto que resista ser pisado e subjulgado.
Morre mesmo.
E foi isso que aconteceu.
O afeto nem chegou a "subir no telhado".
Foi morte súbita.
Pá pum.

A sensação é que parei de torcer pela pessoa, sabe ?
Pensei, parei, analisei...
Me identifiquei com a sombra da pessoa, porque é por isso que dói.
Se não tem identificação, a gente não tá nem aí.

Sempre faço isso, vou lá, no meu cantinho escuro da dor, do medo...
Jogo luz lá dentro e digo: o que é que há ?
Acho que isso é resultado de anos de psicanálise bem feita.
(Deve ser por isso que sou FÃ da psicanálise. Te dá ferramentas reais de auto-conhecimento.)

Fui lá, fiz meu dever de casa e fiquei quietinha no meu canto.
Não esbravejei e nem briguei.
Me calei.
Mas Ele, sempre Ele, meu amigo fiel, companheiro inseparável de Caminhada, sabia do que eu precisava.
E tomou logo as providências para o devido acolhimento, para que a cura acontecesse.
E muito prontamente - em menos de 24 horas - me mostrou os "quês e porquês"

Eu sei, que para algumas pessoas, esse processo ás vezes demora, demanda trabalho etc...
Pra mim mesmo, em diversas ocasiões não foi tão pá e bola.
E ai, não sei então se é sorte ou merecimento de ser agraciada com as respostas, que muitas vezes eu nem procuro.

Não fiquei me perguntando porquê ?
Conheço bem a "amiga", e por isso só me deixei sentir a tristeza da decepção e rezei muito para que o ressentimento não fizesse morada no meu coração.
Rezei por mim.
Senti pena dela e rezei por ela.
Talvez por isso, Deus venha em meu socorro tão rapidamente.

Eu não tenho vergonha, não.
Peço à Ele, mesmo!!!
Digo: "Olha, sem Você, eu não vou conseguir. Me ajude !!! "
E ELE VEM.

Isso é a coisa mais linda do mundo.
Deste e de todos os mundo que possam existir.
É um Amor que não tem medida.

E quando isso acontece, percebo que até a decepção sentida tem um objetivo maior, que é Cura.
Pois é.
Ao me identificar com a sombra, reconheci meus sentimentos e  pude me libertar do sentido negativo, de traumas e de resquícios de outras decepções que eu trago dentro de mim.
Normal. É assim mesmo.
É por isso que essa decepção por exemplo acontece. É como se fosse um gatilho deflagrador.
Mas tudo para, aí sim, seguir em frente mais leve e renovada.

E se ontem eu estava triste, hoje estou leve.
E ao longo do dia, tive uma chuva de carinhos de pessoas que são de fato, importantes para mim. E sem que elas ao menos soubessem o que eu estava passando.
É tanto amor que fico até garbosa...

Pra finalizar fica a dica:
Melhor do que falar que as coisas e pessoas devem ser assim ou assadas, deixa as pessoas serem somente.
Let it be.

O ideal é amá-las mas como muitas vezes isso não é possível, deixe-as ser.
Respeite a dor alheia.
Na boa ? Eu bem sei aonde poderia "apertar" essa pessoa para que ela entendesse que as coisas não são assim, ou para me defender ou simplesmente por uma reação normal à uma ação.
Não vale à pena. Na devida hora esse entendimento vai acontecer; e não vai acontecer porque eu vou falar pra ela que isso e aquilo. Ensinamos muito mais sendo exemplo, do que falando e explicando.

Minha gente, aprendizado é um momento mágico.
Não é o professor que decide quando o aprendizado acontece.
Como diz em Eclesiastes 3- que não por acaso é a I Leitura do dia de hoje:
"Tudo tem seu tempo. Há um momento oportuno para tudo o que acontece debaixo do céu" 


Existe uma lógica própria na vida, um tempo próprio de ser que corre paralelo às nossas vontades.
Por isso é imprescindível ter esse respeito pela dor alheia, seja ela qual for e porque for.
Às vezes a impressão que me dá,  é que existe um prazer disfarçado em cutucar as feridas alheias.
Isso é feio, gente.
Não poooode....  (como diz dindinha Marcela. hehehe)

Sei que muita gente não entende meu modo de ser, e não espero que entendam mesmo.
Mas espero sim, que me deixem ser o que eu sou e o que posso ser.
A gente é o que  é, o que pode, o que aguenta e não o que quer ser.

Cartas para redação.
Bjo, me twitta
@patmguerra

7 comentários:

Dindinha disse...

Oi, Irmanis,

Li seu post e me senti dentro de nossas conversas, pois muitas coisas que estão aí foram ditas pessoalmente. Nesses últimos dois anos vi e acompanhei muitos processos que aconteceram em sua vida (e vice-versa). Admiro muito como você consegue "puxar pelo bigode" e ter a visão do Eu e do Outro nas duas dores e amores. Visão compassiva e honesta, pois nesses momentos você, sempre muito passional, consegue ver e admitir erros e acertos.

Nessa questão em especial, você soube ver bem o que te incomodava e o que o outro estava fazendo. E, nos braços do Senhor, teve o conforto, amor e sabedoria para tomar sua decisão. Deletar alguém não é uma atitude fácil. Te conheço e sei que você não abandonaria a pessoa ao léu, até pq seu coração cristão não permitiria isso. E sei que a pessoa vai continuar em duas orações, se ela der espaço o Senhor vai abrir o coração dela e a deixar transformar.

Estamos aqui para viver e aprender. Na dor e no amor. Para a cada dia sermos melhores, deletando e deletados, mas vivendo na verdade do Pai.

Bjo

LIZ PASSOS disse...

Verdade!
Nem sabia do q estava acontecendo e hj trocamos um e-mail tão carinhoso, não foi?
Continuo sem saber, mas sei o quanto angustia e irrequieta qdo temos q tomar um tipo de decisão assim.
Não entendo de comportamentos, personalidades, temperamentos.. sei do básico!
Mas de uma coisa eu entendo bem: do coração!
As pessoas q amo, me conquistam pelo sentimento q trazem no coração.
E o seu, amiga, é CHEIO de amor!
Defeitos todos nós temos e as vezes eles são insuportáveis até p nós mesmos.
Ter amigos "do bem", vale mais que qualquer coisa, os que não querem fazer parte dessa energia, melhor q se afastem mesmo.
Se vc acha q deletar, é o melhor a fazer, siga seu coração.
O importante é a sua paz interior!
Amo vc!
Beijos

Anônimo disse...

Pat,
Conheci o seu blog, através do da minha amiga Liz e sempre te leio.
Nunca comentei, mas me identifico mto com vc. Me vejo em várias atitudes e pensamentos seus.
Hj, por exemplo, é como se fosse eu q tivesse escrito. Pois é isso mesmo q faço.
Quem não me merece é deletado!!!!
E qdo chego nesse estágio, faço isso de forma indolor!
Texto sensível e significativo, como todos os q vc escreve.
Bjos,
Vika

Anônimo disse...

Deleta e não esquece de limpar a lixeira :P
Bj,
André

Patricia Guerra disse...

Queridos,
Obrigada pelo amorosos comentários.
Liz e Dindinha... meu coração é de vcs.

Vicka, adorei saber q vem e seja mais do q bem vinda pra comentar! =)

André, ri ALTO com seu comentário. Principalmente pq limpar a lixeira é uma coisa q sempre faço no meu notebook...pra não carregar peso desnecessário. Taí uma excelente dica q vc me lembrou. hahaha

bjs a todos e espero vê-los sempre por aqui.

marianamiranda disse...

Blog mais engraçado! Conheci agora. Bjs!

Miss. Tério disse...

Oi, Pat
Vejo sempre seu blog por conta da Liz - minha amiga de velhos, novos, bons tempos e palavras.
o Texto veio de encontro com uma fase que estou passando... Realmente, aquilo que não está em sintonia comigo, está sem deletado "sem dó, nem piedade"! Amigos - são mesmo amigos - quando nos fazem bem e tem sensibilidade para nos amar de maneira delicada e aceitar ou nos alertar sobre alguns defeitinhos que temos - da maneira mais suave possível. Quando deixam de ser do bem... melhor dar um tempo mesmo e viver nosso melhor com os que nos fazem bem.
Um beijão. Beta.